Retrospectiva das iniciativas da ABEMI é positiva e ritmo se manterá em 2019

Retrospectiva das iniciativas da ABEMI é positiva e ritmo se manterá em 2019

O balanço das atividades da ABEMI em 2018 é muito positivo. Reestruturada e guiada por um novo estatuto social, a entidade modernizou sua comunicação, lançou um novo site e investe na produção de conteúdo relevante para os associados, prospects e o público interessado.

São reportagens produzidas exclusivamente para a Newsletter ABEMI, mais dinamismo nas redes sociais e palestras com especialistas, entre elas destacam-se temas como:

  • Combate à corrupção, com a promotora Luciana Asper y Valdés, em dezembro.
  • Inovação, planejamento estratégico, riscos e desafios da execução – As lições do Titanic, com Pedro C. Ribeiro, da Stratech, em novembro.
  • Oportunidades de negócios entre Brasil e Turquia, com a presidente da butique de financial advisory LBittar Partners, Luciana Bittar, em outubro.
  • A retomada da Usiminas, com Sérgio Leite de Andrade, presidente da empresa, em maio.

Ainda com o objetivo de gerar conteúdo de interesse do setor, a ABEMI firmou uma parceria com o ACLacerda Consultores Associados, que elabora estudos técnicos e análises macroeconômicas trimestrais, apresentando-os presencialmente na sede da associação, e edita duas publicações mensais: Boletim Economia em Foco e Boletim Opinião Econômica.

Um dos destaques do ano foi a conquista de mais quatro associados, totalizando agora 34 empresas:

  • Grupo Snef – De origem francesa, atua nos segmentos hidro, energia, indústria e infraestrutura de transportes.
  • KTY Engenharia – Com mais de 30 anos, atua nos segmentos de petróleo e gás, indústria, energia e infraestrutura.
  • Construtora Tecnibras – Empresa nacional, com 55 anos de mercado e atuação em obras para o setor público e especialista em restauro de construções históricas.
  • JHE – Empresa prestadora de serviços de consultoria em engenharia que desenvolve estudos de viabilidade, projetos, gerenciamento de empreendimentos, concessão de serviços públicos e planejamento da operação.

Segundo o presidente da ABEMI, Nelson Romano, uma das bandeiras mais importantes em 2018 foi a participação nas discussões sobre conteúdo local no segmento de óleo e gás.

“A ABEMI, hoje protagonista efetiva das decisões que envolvem o setor, continuará na defesa de seus interesses, em particular de seus associados, atuando para melhora da competitividade da indústria brasileira através do aprimoramento tecnológico e defesa de uma política industrial não protecionista, mas que leve em conta os interesses da nação como um todo”, afirma Romano.

A oferta de oportunidades de desenvolvimento e aprimoramento de competências foi outra causa prioritária em 2018. Em parceria com a Dynamis Automação e Cursos, a ABEMI facilitou o acesso a cursos de conteúdo relevante, como indústria 4.0 e internet das coisas.

Em 2019, a parceria com a Dynamis continua, e a grade de treinamentos já está disponível. Clique aqui , escolha os temas de sua preferência e programe-se para conquistar mais conhecimento e ampliar suas oportunidades profissionais.

Analisando o desempenho do setor de engenharia industrial, Romano afirma que 2018 foi um ano caracterizado por uma baixa atividade, mas no final apresentou uma inflexão para melhor em diversos segmentos como:

  • Energia – Devido à demanda crescente e aumento da geração isenta de carbono (solar e eólica).
  • Papel e celulose – Voltado à exportação.
  • Infraestrutura – Especialmente em mobilidade urbana.

A expectativa para 2019 é, internamente, de manter o foco em promover o debate de temas importantes para o setor, e externamente, é de tempos melhores. “O nível de emprego parou de se deteriorar, o ambiente macroeconômico voltou a patamares bastante aceitáveis. No ano que se inicia, nossa posição é otimista. A disposição do governo de reduzir o tamanho do estado, de aprofundar o ajuste das contas públicas, mudar de postura nas relações internacionais, além de outras medidas liberalizantes, deve abrir uma janela de oportunidade para o país voltar a crescer e gerar empregos”, conclui Romano.

Editora Conteúdo/Abgail Cardoso

Compartilhar notícia: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit RSS Email

Comentários