ABEMI intensifica pauta e agenda de eventos de interesse do setor de engenharia

ABEMI intensifica pauta e agenda de eventos de interesse do setor de engenharia

Estimular o debate e gerar insights colocando em pauta assuntos de grande interesse das empresas de engenharia é uma das prioridades da Associação Brasileira de Engenharia Industrial (ABEMI). “A agenda deste ano inclui um total de oito palestras exclusivas de convidados externos, especialistas e autoridades. É uma grande oportunidade para os nossos associados”, afirma o diretor-presidente da ABEMI, Gabriel Aidar Abouchar.

No dia 18 de junho, foi a vez de executivos da Ecogen, da Comgás e da Cogen mostrarem os benefícios da cogeração. No dia seguinte, os associados puderam conhecer como as empresas brasileiras podem participar de projetos de infraestrutura em diversas regiões no Peru. No próximo dia 2 de julho, o assunto será a formação e prevenção de crises nas empresas e como o fator humano interfere nesse contexto. Confira um resumo dos eventos:

A versatilidade da cogeração a gás

Tarifa diferenciada, alta eficiência energética e produção de energia constante, independentemente de fatores naturais, são algumas das vantagens da cogeração a gás, apontadas durante palestra que reuniu o presidente da Ecogen, Francisco Coccaro, o gerente da Comgás, Pedro Luiz Mendes da Silva Júnior, e o diretor da Cogen (Associação da Indústria de Cogeração de Energia), Leonardo Caio Filho.

A palestra mostrou que há várias possibilidades de aplicação da cogeração a gás, desde grandes plantas industriais até soluções destinadas a condomínios residenciais. “A cogeração é a forma mais eficiente e racional do uso do gás natural como fonte de energia”, resumiu Pedro Luiz, da Comgás. Segundo ele, as soluções de cogeração não demandam grandes áreas para instalação, podendo ser aplicadas em projetos de 10 a 10 mil kW.

“Desenvolvemos soluções energéticas adaptadas às necessidades de cada cliente”, reforçou o presidente da Ecogen, empresa presente em todo o território nacional. Controlada pela Mitsui – que atua em 66 países –, a Ecogen aporta até 100% do investimento necessário para implantar a solução, fazendo a sua operação e a gestão de insumos.

Depois de mostrar como a cogeração vem evoluindo – passando de 9,77 GW instalados em 2009 para 18,4 GW em junho deste ano –, Leonardo informou que o site da Cogen disponibiliza um simulador de benefícios da cogeração a gás natural. O simulador aponta o potencial aproximado de economia que pode ser obtida com a implantação de um sistema de cogeração. Acesse www.simulador.cogen.com.br e confira.

 

Oportunidades de negócios de infraestrutura no Peru

Nos próximos dois anos, o Peru fará a concessão de 58 projetos nos setores de energia, rodovias, ferrovias, hospitais, irrigações, construção de escolas e saneamento, no valor total de US$ 10,327 milhões. Os projetos foram apresentados em palestra sobre oportunidades de negócios de infraestrutura no Peru.

O embaixador do Peru no Brasil, Javier Yepez Verdeguer, e o diretor-geral do Escritório Comercial do Peru, Antonio Castilho, apresentaram o panorama econômico em seu país e os principais incentivos para os investimentos, detalhando a etapa em que se encontra cada projeto. “Nosso escritório está à disposição dos empresários brasileiros para dar os detalhes dessas propostas”, afirmou Antonio Castilho.

Segundo ele, as empresas brasileiras fizeram as principais obras de infraestrutura no Peru, nos últimos 30 anos. Hoje, mais de 120 companhias do Brasil de médio e grande porte atuam no país, em diferentes áreas. “A engenharia brasileira tem um reconhecimento muito grande no Peru”, destacou.

Antonio Castilho lembrou que os problemas surgidos com a operação Lava Jato afetaram o desenvolvimento dos negócios. “A engenharia, a contratação e a administração das empresas brasileiras foram impecáveis. Existe um trabalho a realizar, mas acho que temos exemplos concretos de que esse tema está sendo superado”, avaliou.

O fator humano na formação e prevenção de crises

O sócio da Stratech e autor do livro Lições do Titanic, Pedro C. Ribeiro, abordará no dia 2 de julho, das 10h às 12h, como o fator humano pode influenciar, provocar ou prevenir uma crise na empresa.

Segundo ele, uma crise pode estar se formando e pode passar despercebida da administração até que seja tarde demais, independentemente da qualidade dos sistemas de gestão de riscos, QSMS e compliance.

O objetivo desta apresentação é mostrar como identificar crises ainda no estágio de formação, alavancando o conhecimento existente na organização, e como potencializar sistemas de gestão de riscos, segurança e fortalecer a cultura de riscos e segurança da empresa.

Editora Conteúdo/Abgail Cardoso

Compartilhar notícia: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit RSS Email

Comentários