Associação presente na Rio Oil & Gás que contou com mais de 58 mil participantes

circulo-amarelo - esq

Aconteceu, em setembro, a 20ª. Edição da Rio Oil & Gas 2022 com resultados muito positivos para os mais de 58 mil participantes e 400 expositores. A ABEMI foi representada por seu presidente Joaquim Maia e pelo diretor executivo Matias Fernandez que, ao lado dos principais CEOs, executivos e especialistas do Brasil e do mundo, participam das discussões sobre o futuro do setor.

Durante os quatro dias do evento, foram debatidos temas ligados a todos os segmentos da indústria, do upstream e downstream. O presidente destacou a importância das palestras apresentadas, principalmente sobre o setor de gás natural e o seu impacto na transição energética. “O grande debate da Rio Oil & Gás foi a o escoamento de gás natural, no pré-sal e, que, atualmente estão sendo reinjetados nos reservatórios”. Hoje, afirma Maia, “temos uma economia baseada no petróleo, porém o gás natural é matéria-prima fundamental na transição energética, na indústria química / petroquímica e na produção de fertilizantes nitrogenados”.

Revolução na indústria

O presidente reafirmou que esse é um tema é da mais alta relevância para o país. “Atualmente a nossa dependência de gás para uso termoelétrico, bem como a importação de nitrogenados, nos coloca em uma posição elevada de vulnerabilidade, como ficou evidenciado pela crise resultante da guerra entre Rússia e Ucrânia. Sabemos que haverá uma grande revolução na indústria nacional na próxima década, o que, certamente, vai aumentar a demanda por serviços de engenharia e de construção. ”

Maia destacou ainda que em relação aos expositores, “foi uma grande surpresa pela quantidade e qualidade, que incluiu a participação de nossos associados, como a Metroval; DBR Energies; Fluxo Soluções Integradas; Tenenge e OEC”.  Além disso, “foi possível estabelecer diversos contatos, a exemplo do grupo de exportadores da Coreia, Komea, com o qual há um interesse de um canal de divulgação entre as empresas de engenharia brasileiras e coreanas”, afirmou.

Estandes dos associados, Metroval , Fluxo Soluções Integradas e DBR Energies presentes no evento: retorno dos eventos presenciais do setor de óleo e gás

ESG

Economia de baixo carbono, foi outro ponto discutido. Para Maia, as discussões em torno do tema, indicam que dentro da agenda ESG, ações em conformidade com o meio ambiente estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas. Tanto que a entidade também participou do painel exclusivo de ESG, com a apresentação da coordenadora do comitê de ESG, Ana Cláudia La Plata de Mello Franco, sócia da Toledo Marchetti Advogados.

Já Fernandez, diretor Executivo da entidade, afirma, corroborando as palavras do presidente, que os temas debatidos foram muito atuais e impactantes, em linha com a atuação da ABEMI. A grandeza do evento pode ser medida pelos números. Além dos 58 mil participantes, foram 266 horas de conteúdo presencial e 450 horas de conteúdo online, que aconteceram nos.52 mil m² de área de exposição, em nove pavilhões internacionais. Tanto para Maia como para Fernandez, a organização da Rio Oil & Gas acertou na escolha do local, com a decisão de deslocar a realização do Riocentro para o centro do Rio de Janeiro, no boulevard olímpico.

Editora Conteúdo

 

 

 

Compartilhe:

Posts Relacionados

O Brasil precisa de investimentos urgentes em infraestrutura nos próximos anos
Technology screen with high speed motion blur
Falar de investimentos em infraestrutura é dizer de uma das maiores prioridades do Brasil, tanto em termos econômicos...
ABEMI participa das comemorações dos 10 anos do Parque Tecnológico de Sorocaba
IMG-20221107-WA0016-720x540
A ABEMI, representada por seu diretor executivo, Matias Fernandez e pelo diretor do Instituto ProEC 4.0, Mauricio Godoy,...
ABEMI promove debate sobre a engenharia digital no Brasil com especialistas na área
IMG-20221027-WA0007
A diretoria de engenharia da ABEMI realizou mais uma mesa redonda. Desta vez, o tema foi Engenharia digital:...