Eólicas representam mais de 10% de toda a energia gerada no Brasil, de acordo com a ABEEólica

circulo-amarelo - esq

O Brasil acaba de ultrapassar a marca de 14 GW de capacidade instalada de energia eólica. São 14,34 GW em 568 parques eólicos e mais de 7 mil aerogeradores operando em 12 estados, concentrando a mesma capacidade instalada de Itaipu, que é a maior usina hidrelétrica do Brasil, como informa a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica).

“A energia gerada por esses parques eólicos equivale, hoje, ao consumo residencial médio de cerca de 26 milhões de habitações – aproximadamente 80 milhões de pessoas”, compara Elbia Gannoum, presidente da ABEEólica. Segundo o último Boletim Mensal de Dados do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), a energia eólica já chega a atender quase 14% do Sistema Interligado Nacional (SIN) – percentual recorde, alcançado em 19 de setembro último.

Geração de empregos e outros benefícios

O volume gerado vem crescendo. De acordo com o boletim InfoMercado da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), as eólicas geraram, nos primeiros oito meses de 2018, uma quantidade de energia 19% superior ao produzido no mesmo período do ano passado. A CCEE informa, também, que no mês de agosto as usinas eólicas registraram a maior produção de energia da história, alcançando 7.017 MW médios. “A produção elevou a representatividade da fonte, em 2018, para 11,5% de toda a energia gerada no período pelas usinas do sistema”, destaca Elbia.

De acordo com a Bloomberg New Energy Finance (BNEF) dos US$ 32 bilhões investidos no setor em 10 anos, US$ 3,57 bilhões foram aplicados somente em 2017, o que representa 58% dos investimentos feitos em renováveis – solar, eólica, biocombustíveis, biomassa e resíduos, PCH, etc. O retorno compensa. “Estimamos que a cada MW sejam gerados 15 postos de trabalho. No ano passado, foram cerca de 30 mil empregos”, informa a presidente da ABEEólica.

A geração de empregos vem se somar a uma extensa lista de benefícios proporcionados pela energia eólica, incluindo seu baixíssimo impacto ambiental. Elbia lembra que a energia eólica não emite CO2 em sua operação, tem um dos melhores custos-benefícios na tarifa de energia, gera renda por meio do pagamento de arrendamento e permite que os proprietários de terras onde estão os aerogeradores tenham outras atividades na mesma área.

Panorama do setor

De acordo com a ABEEólica, levando em conta leilões já realizados e contratos firmados no mercado livre, o Brasil terá cerca de 18 GW de capacidade instalada de energia eólica até 2024. Confira outros números relevantes:

  • O Brasil tem 568 parques eólicos;
  • 7 mil aerogeradores operando em 12 estados;
  • São 14,34 GW de capacidade instalada;
  • A geração de energia eólica atende 14% do SIN;
  • A energia eólica corresponde a 11,5% de toda a energia gerada no país.

Editora Conteúdo/Abgail Cardoso

Compartilhe:

Posts Relacionados

O Brasil precisa de investimentos urgentes em infraestrutura nos próximos anos
Technology screen with high speed motion blur
Falar de investimentos em infraestrutura é dizer de uma das maiores prioridades do Brasil, tanto em termos econômicos...
ABEMI participa das comemorações dos 10 anos do Parque Tecnológico de Sorocaba
IMG-20221107-WA0016-720x540
A ABEMI, representada por seu diretor executivo, Matias Fernandez e pelo diretor do Instituto ProEC 4.0, Mauricio Godoy,...
ABEMI promove debate sobre a engenharia digital no Brasil com especialistas na área
IMG-20221027-WA0007
A diretoria de engenharia da ABEMI realizou mais uma mesa redonda. Desta vez, o tema foi Engenharia digital:...