Avançam os preparativos para operação do Instituto ProEC 4.0 e NECSOR

circulo-amarelo - esq

O Instituto ProEC 4.0, cuja ideia vem sendo desenvolvida há vários meses, entra agora em uma nova fase. Em fevereiro, foi dada a entrada na documentação para sua formalização, prevista para estar concluída em março. Também em fevereiro, o grupo gestor, que inclui representantes da ABEMI, do Instituto de Engenharia (IE) e do Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada – Infraestrutura (SINICON), com apoio da Deloitte, realizou uma reunião para planejar as próximas ações desse programa inovador, que visa acelerar a transformação digital da engenharia industrial brasileira.

O grupo gestor já preparou um material de divulgação, que apresenta o programa, seus objetivos e benefícios. “Esse material será utilizado para apoiar nossos contatos com empresas interessadas em apresentar seus produtos e suas tecnologias por meio do Instituto ProEC e também para atrair patrocinadores para a implantação do NECSOR”, afirma Maurício Godoy, novo coordenador do Instituto ProEC 4.0, em substituição a Telmo Ghiorzi, diretor de Relações Institucionais da ABEMI.

Ele explica que o Instituto ProEC 4.0 é uma associação civil de caráter privado e sem fins lucrativos, que habilita a existência e operação do Núcleo de Engenharia e Construção de Sorocaba (NECSOR). A expectativa é, a partir de abril, começar a realizar reuniões com empresas de tecnologia, epecistas e empresas que atuam na área de óleo e gás e energia, entre outras, para identificar interessadas em demonstrar as inovações voltadas ao setor de engenharia e construção e discutir modelos de financiamento do ProEC 4.0.

NECSOR virtual

Maurício Godoy, coordenador do Instituto ProEC 4.0

O grupo gestor já começou também os preparativos para o primeiro evento do NECSOR, que será virtual, previsto para maio ou junho em data a ser confirmada. “Estamos convidando empresas para demonstrar suas tecnologias para a engenharia e construção 4.0, como realidade aumentada, realidade virtual, conectividade, inteligência artificial, analytics, entre outras”, informa Maurício.

Segundo ele, essas tecnologias combinadas podem ajudar a resolver problemas reais da engenharia e construção e trarão benefícios em cumprimento de prazo, melhor qualidade, excelência em segurança, produtividade e melhor fluxo de informações, informações atualizadas e precisas em relação ao que está acontecendo na obra.

Começou também a preparação para implantação do NECSOR, que ocupará uma área de 3.187 m2 no Parque Tecnológico de Sorocaba. No momento, está sendo realizada a limpeza do terreno onde ficará o canteiro para demonstração de tecnologias. Paralelamente, está sendo feita a descrição de como será o canteiro, e será construída uma maquete, que vai apoiar a divulgação do ProEC 4.0. A previsão de implantação do canteiro  é em 2023.

Editora Conteúdo

 

Compartilhe:

Posts Relacionados

O Brasil precisa de investimentos urgentes em infraestrutura nos próximos anos
Technology screen with high speed motion blur
Falar de investimentos em infraestrutura é dizer de uma das maiores prioridades do Brasil, tanto em termos econômicos...
ABEMI participa das comemorações dos 10 anos do Parque Tecnológico de Sorocaba
IMG-20221107-WA0016-720x540
A ABEMI, representada por seu diretor executivo, Matias Fernandez e pelo diretor do Instituto ProEC 4.0, Mauricio Godoy,...
ABEMI promove debate sobre a engenharia digital no Brasil com especialistas na área
IMG-20221027-WA0007
A diretoria de engenharia da ABEMI realizou mais uma mesa redonda. Desta vez, o tema foi Engenharia digital:...