Plataforma Lumen WEB, da Snef, facilita entrada das empresas na indústria 4.0

Plataforma Lumen WEB, da Snef, facilita entrada das empresas na indústria 4.0

Avançar rapidamente na transformação digital é um dos maiores desafios em vários setores. De olho nessa necessidade, o Grupo Snef desenvolveu a Lumen WEB Plataform, uma plataforma colaborativa, intuitiva e amigável, capaz de inserir empresas de variados níveis tecnológicos na corrida da indústria 4.0.

“Existem empresas mais avançadas e outras defasadas, que recém entraram na fase da automação. Um dos diferenciais da plataforma Lúmen é conseguir atender companhias de diferentes níveis tecnológicos, sendo necessário basicamente integrar os equipamentos e os sistemas de gestão à internet das coisas”, explica o gerente de negócios do Grupo Snef, Vladimir Proença.

Reunindo conceitos como IoT, edge, inteligência artificial, big data, computação em nuvem, manufatura aditiva, learning machine, a plataforma 4.0 Lúmen é online, mas também pode funcionar durante algum tempo sem conectividade à internet, caso ocorra alguma falha nessa conexão. “Não conhecemos outra plataforma com a abrangência da Lúmen, que está sendo usada num programa do SENAI de Minas Gerais, numa parceria com o Sebrae, e numa grande empresa de bebidas, cuja estimativa é obter uma redução de R$ 3 milhões nos custos de manutenção em suas 42 plantas industriais”, diz Vladimir.

Usuários ilimitados

Entre os diferenciais da plataforma, ele cita o acesso à documentação existente sobre os equipamentos no ponto exato em que o profissional está visualizando uma anomalia ou oportunidade de melhoria. Caso ele consulte um especialista, por exemplo, ambos estarão visualizando a mesma imagem em 3D, e as conversas e ações recomendadas ficarão registradas para que todos os usuários da plataforma tenham acesso. As conversas em vídeo e áudio são convertidas em texto.

Outro destaque é o sistema de cobrança software as a service, baseado em número de tags (pontos de leitura) com uma política de preço que favorece a ampliação dos pontos de leitura. “O número de usuários é ilimitado, quem define quem tem acesso à plataforma é o cliente, de acordo com sua política”, conclui Vladimir.

Editora Conteúdo/Abgail Cardoso

Compartilhar notícia: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit RSS Email

Comentários