O Brasil precisa de investimentos urgentes em infraestrutura nos próximos anos

circulo-amarelo - esq

Falar de investimentos em infraestrutura é dizer de uma das maiores prioridades do Brasil, tanto em termos econômicos como de qualidade de vida e saúde pública.

Porém, os gargalos financeiros são limitantes quando se trata de infraestrutura, provocando gargalos no desenvolvimento brasileiro. Entretanto, não se pode ignorar o desafio de aumentar a participação de fontes privadas de recursos e isto é uma questão crítica do setor.

É fato que a infraestrutura possibilita a atração de investimentos, geração de empregos, crescimento econômico e, também o aumento na competitividade do país frente a mercados internacionais. Entretanto, no que diz respeito ao financiamento dos projetos, permanece o desafio de aumentar a participação de fontes privadas de recursos. A falta de alternativas privadas adequadas ao financiamento é uma das questões mais críticas para a expansão do setor.

O governo tem feito esforços para aumentar a participação do setor privado. Tanto que promulgou a Lei 12.431/11 que concede benefícios tributários para aplicações financeiras em títulos emitidos para financiar investimentos em infraestrutura.

Públicos ou privados, estes financiamentos devem ser a alavanca do desenvolvimento do país, num mundo marcado, recentemente, por mudanças econômicas em razão da pandemia e pela na Ucrânia. Tudo isso exige resposta rápidas, com risco de mais uma vez o Brasil ficar aquém no desenvolvimento mundial. A palavra de ordem, sem dúvida, é investimentos já.

Para tanto, o caminho é claro: é urgente reformular a regulação das áreas de infraestrutura, tornando-a mais atraente para investidores privados, nos moldes do que foi feito com o saneamento básico.

Reativar a economia

A boa notícia é que o Brasil está se preparando para esse necessário choque de investimentos em infraestrutura. O presidente recém-eleito, Luiz Inácio Lula da Silva já sinalizou em seus discursos a importância do setor e tem como objetivo de lançar um grande programa de infraestrutura para reativar a economia do Brasil.

Assim, para viabilizar o setor, um dos pontos importantes é reforçar e ampliar o papel de fomento do BNDES nos investimentos de longo prazo, com taxas de juros compatíveis com os retornos dos projetos. Outro ponto é a implantação de projetos de proteção ambiental que contribuirá para a captação de recursos externos e para o acesso ao mercado de carbono. E ainda aprovar o PL 2646/20, que trata das debêntures de infraestrutura, para captar investidores institucionais, fundamentais nos projetos de longo prazo.

Certamente uma agenda futura consistente para o setor exigirá um trabalho conjunto do setor público com a iniciativa privada. E a ABEMI (Associação Brasileira de Engenharia Industrial) é protagonista nesta cruzada.

IMG_6740 (*) Joaquim Maia, presidente da ABEMI; consultor da Toyo Setal e diretor executivo da JMA Assessoria Marketing e Representações

 

 

Share:

Related Posts

ABEMI participates in the celebrations of the 10th anniversary of the Technological Park of Sorocaba
IMG-20221107-WA0016-720x540
ABEMI, represented by its executive director, Matias Fernandez and by the director of the ProEC 4.0 Institute, Mauricio Godoy,...
ABEMI promotes debate on digital engineering in Brazil with experts in the field
IMG-20221027-WA0007
ABEMI's engineering board held another round table. This time, the theme was Digital Engineering:...
Desenvolvimento sustentável e práticas ESG foram destaque da palestra de CEO do Pacto Global
IMG-20221019-WA0034
In a lecture held at ABEMI, Carlo Pereira, CEO of the UN Global Compact in Brazil, spoke about...